Blog

O que é transformação digital tributária e quais são seus desafios?

O que é transformação digital tributária e quais são seus desafios?

Estamos vivendo um tempo em que a tecnologia ganha cada vez mais espaço em nossas atividades do dia-a-dia. Praticamente tudo que fazemos tem alguma novidade tecnológica envolvida no contexto.

As empresas também começaram a entender que devem lançar mão desses benefícios para ganhar mais espaço no mercado e atrair mais clientes, principalmente, no que diz respeito à área comercial.

Agora, chegou a vez do setor tributário também atualizar as suas metodologias de trabalho e, se considerarmos que o Brasil tem uma das listas de tributos mais complexas do mundo, esse tipo de inovação vem bem a calhar.

Hoje, as empresas têm que arcar com impostos nas esferas municipais, estaduais e federais. Sem contar que a tecnologia também facilitou a venda para outros países, consequentemente, mais impostos e leis diferentes.

O Governo Federal já começou um processo de transformação digital que, além de diminuir alguns processos burocráticos, também facilita a fiscalização e impede que o não pagamento de impostos passe despercebido.

Para as empresas, a transformação digital tributária facilita a integração de informações com os sistemas dos governos e permite uma análise estratégica dos dados fiscais.

Neste artigo vamos falar um pouco sobre essa transformação digital tributária e seus desafios. Continue a leitura e veja os seguintes pontos:

  • A transformação digital tributária é necessária?
  • Veja a gestão tributária com outros olhos
  • Os novos profissionais da área
  • Abrace a tecnologia tributária

A transformação digital tributária é necessária?

Com o passar dos séculos, podemos ver que mudanças ocorrem periodicamente e muitas são extremamente necessárias. Quem não as acompanha, corre o risco de ficar para trás.

Em um sistema tributário tão complexo como o nosso, os processos se tornaram demorados e burocráticos, o que pode implicar em erros, tanto por parte de quem recebe os tributos, quanto para quem paga.

Hoje, o Governo Federal já utiliza ferramentas que permitem uma fiscalização mais eficiente, por meio de inteligência artificial, que analisa as informações passadas pelas empresas e gera automaticamente os autos de infração.

Já as empresas, perdiam um tempo muito grande com o lançamento e organização dessas informações que, feitos de forma ainda muito manual, era passível de muitos erros que poderiam levar ao pagamento de multas altas.

Agora, é possível usar sistemas que também se integram aos governos e agilizam processos que antes eram meio confusos e bastante demorados. Além disso, possibilitam uma segurança muito maior dos dados fiscais.

Essa inteligência tributária implica em informações mais assertivas, cumprimento mais eficiente dos prazos de pagamento e atualização dos dados fiscais de forma mais rápida e livre de erros.

Veja a gestão tributária com outros olhos

O setor tributário das empresas, com certeza, era um dos mais burocráticos e operacionais. A sua essência era lidar com documentos, guias de pagamento e muitas planilhas de Excel.

Mas, com as mudanças ao longo dos tempos, principalmente relacionadas ao comportamento do consumidor, a tendência de muitas empresas é direcionar todos os seus setores para um trabalho mais estratégico.

O foco agora é analisar o máximo de informações possíveis e transformá-las em estratégias que alavanquem as vendas, proporcionem experiências marcantes aos seus clientes e ganhem destaque no mercado.

Portanto, a gestão tributária também deve ser direcionada para este fim, de forma que utilize o momento de transformação digital para diminuir o tempo gasto com o operacional e foque mais no resultado dessas informações.

Através da análise dos dados tributários é possível saber o volume de gastos com todos os tributos e procurar alternativas que diminuam esses custos, até mesmo mudando o sistema tributário do negócio.

Os novos profissionais da área

Como toda mudança, principalmente quando envolve tecnologia, é preciso lidar com novos conhecimentos e novas formas de fazer as coisas. Por isso, também surge a necessidade de profissionais especialistas.

E se engana quem acha que esses especialistas precisam ter uma formação específica. Há uma tendência cada vez maior de uma interdisciplinaridade dentro das empresas. Os setores estão cada vez mais interligados.

Portanto, não seria diferente com esses profissionais, que precisam ter conhecimento em várias áreas para poder desempenhar bem uma única função, ao invés de várias pessoas fazendo a mesma coisa.

Dessa forma, surgiram o Taxologist e o Cientista de Dados, que analisam as informações e desenvolvem relatórios mais assertivos, focado na gestão estratégica e com maior entendimento das novas tecnologias.

Esses profissionais permitem uma maior integração das informações fiscais com os objetivos mercadológicos das empresas, fazem o acompanhamento das mudanças de legislação e buscam novas tecnologias.

Nessas novas funções estão envolvidos os conhecimentos em contabilidade, tecnologia da informação e gestão e, mesmo sem graduações específicas, vários profissionais estão buscando experiência na prática.

Abrace a tecnologia tributária

É cada vez mais notório que a tecnologia tributária traz aos negócios muito mais benefícios que pontos negativos. Mesmo que surjam algumas dificuldades no início, tudo isso faz parte do processo de mudança.

A facilidade ao acesso de informações fiscais e os sistemas de segurança permitem menos dificuldades para lidar com o fisco e até uma certa economia com relação aos tributos, se a gestão for feita da forma correta.

É preciso entender que os tempos são de mudanças constantes e quem não estiver disposto a acompanhar estará fadado a ficar para trás e assistir os concorrentes alcançarem postos mais altos no mercado.

Ao automatizar as rotinas fiscais, as empresas têm a oportunidade de focar mais no seu core business e utilizar as informações tributárias para melhorar consideravelmente a tomada de decisões.

Com uma gestão mais eficiente e diminuição dos impostos, a empresa poderá investir em melhorias que possibilitem uma postura mais competitiva no mercado, atraindo mais clientes.

Além disso, novas tecnologias como Big Data Fiscal, Inteligência Artificial e RPA (Robotic Process Automation) diminuem riscos e facilitam o compliance e planejamento tributário, proporcionando relatórios mais precisos.

Se a sua empresa precisa de ajuda para se adaptar às novas mudanças trazidas pela transformação digital tributária, nós podemos lhe ajudar com essas novas tecnologias e estratégias.

Acesse o site https://livetax.com.br/ e fique sabendo tudo sobre inteligência e tecnologia tributária!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *